18 dezembro 2018

Exclusivo: CEO da XDEX explica como vai funcionar a corretora de criptomoedas ligada à XP

Celina Ma passou por empresas como Mastercard e Mercado Pago

A partir de novembro a XDEX, a exchange da XP Investimentos, começará a cadastrar os usuários na plataforma. A informação exclusiva foi revelada ao Portal do Bitcoin por Celina Ma, a CEO da corretora. A executiva vem de uma longa trajetória no mercado digital. Passou pela Mastercard, pela Mercado Pago, pela Rakuten Brasil e, no início do ano foi convidada para assumir a nova posição.

Na entrevista a seguir, feita por telefone, Ma detalha como vai funcionar o modelo de operação da plataforma. Além disso, afirma que a XDEX não faz parte da XP Investimentos. “É uma empresa dos sócios do Grupo XP e da empresa General Atlantic, que está fazendo seu primeiro investimento em criptoativos”.

Confira a conversa completa abaixo:

Como você chegou ao mundo das criptomoedas?
Tenho bastante experiência no mercado digital, onde estou desde 2011. Trabalhei focada tanto na parte de aquisição de clientes quanto no desenvolvimento de novos produtos e negócios. Passei pela Mastercard, Mercado Pago e antes de vir para cá eu estava na Rakuten, que já aceita criptomoedas como meio de pagamento. Eu já estava um pouco familiarizada com o assunto. No começo do ano, recebi o convite vir para a XDEX.

A taxa zero para transações com Bitcoin é promocional?
Não, ela será permanente.

Os pré-cadastros de novos clientes já estão sendo efetuados. Há uma data definida para o início das operações?
A gente prevê o início de novembro para iniciar a chamada dos primeiros da fila. Será chamada uma certa quantidade a cada dia até finalizar.

A XDEX diz que vai trazer 1 milhão de clientes para a plataforma. Em quando tempo esperam atingir essa marca?
A meta é chegar a 1 milhão de clientes no período de um ano.

Que tipo de cliente vocês estão mirando?
Se a gente olhar no mercado, existem dois ou três tipos de clientes: os Holders, que compram e esperam a valorização do ativo e não querem se preocupar com a custódia das criptomoedas; os Traders, que entram apenas para ter ganhos diários; e os Holders que compram e querem apenas armazenar suas criptomoedas. Por isso, a gente tomou uma decisão estratégica ao adotar um modelo em que o usuário não pode depositar ou resgatar de/ou para outras carteiras digitais. Nossos clientes no início vão ser os Holders que somente buscam a valorização do ativo e que esperam que a exchange faça a custódia das criptomoedas e também os Traders que querem uma plataforma avançada e de alta performance.

Se a plataforma está atrás dos Holders, porque ela não vai aceitar depósitos em bitcoin?
De fato, não vamos aceitar. Contudo, tem Holders que só querem estar expostos ao ativo e esperam a valorização. Fizemos uma pesquisa para entender o que o público espera quando entra em negociações de criptomoedas. E grande parte não quer ter essa preocupação de ter que fazer transferência para uma carteira digital. Essa pessoa espera que a exchange faça a custódia pra ele. Esse cliente só quer estar exposto a ativo.

Com quais bancos vocês vão trabalhar e quais bancos terão essa integração?
Neste momento, a gente vai trabalhar com o banco Daycoval e com o Original E depois a gente tem outros bancos também que a gente vai continuar a integração.

Se cliente quiser sacar dinheiro vai precisar ter uma conta nesses bancos?
Não, depois do cadastro o cliente poderá selecionar para qual a conta bancária que seu dinheiro será enviado. Então vai aparecer um campo do banco Daycoval para que ele insira os dados bancários do seu banco, que pode ser qualquer banco comercial. Ele então faz uma transferência via TED ou DOC. Não existe um valor mínimo. Se a pessoa transferir R$ 50 de sua conta Bradesco e enviou para a conta Daycoval da XDEX, o valor vai ser creditado na ‘conta gráfica’ do cliente na XDEX e assim que for creditado ele vai entrar na conta da exchange e vai visualizar que tem R$ 50 para começar a negociar criptomoedas. Então poderá comprar e negociar bitcoin ou ether. Se quiser vender os ativos, ele vende, esse valor vai para sua conta gráfica e então ele pede uma retirada. Quando ele fizer isso, a retirada só vai poder ser feita pela conta de mesma origem de titularidade.

Por que a corretora não vai negociar Bitcoin em si, mas contratos?
Desde que começamos, desenhamos todas as nossas regras políticas a partir do nosso compliance. Todo nosso modelo de negócios é baseado nas práticas econômicas vigentes das instituições financeiras. Queríamos criar uma exchange robusta e com alta segurança. Por conta disso, desenvolvemos todo o modelo para garantir que tivéssemos o monitoramento dessas operações. O programa que temos também é de prevenção à lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo. Por conta disso, desenvolvemos esse modelo em que não são permitidos depósitos e retiradas. Efetivamente, se o cliente compra ativos, tem esses ativos. Temos parcerias com bolsas de negociações com o mundo todo. E guardamos esses ativos em cold wallets. Quando o cliente compra, não pode retirar, mas tem esses bitcoins.

Vocês vão fazer essa custódia de Bitcoin e de Ethereum, por enquanto? Onde vocês vão negociar essas criptomoedas?
Temos parcerias com exchanges do mundo todo. Temos parcerias de um grande pool.

A carteira (Cold Wallet) será pública?
Nesse momento, não. Colocamos tudo em cold wallets como também multiassinaturas e tudo mais por uma questão de segurança. Não mostramos para o mercado.

Então, o cliente/mercado nunca vai saber de fato se vocês têm ou não essas criptomoedas?
Nós temos. Nós garantimos que, se o cliente comprar e vender, vai conseguir emitir a ordem de compra ou de venda.

A XDEX foi anunciada oficialmente pelo presidente da XP Investimentos. Ao mesmo tempo, o sócios são da XP, além desse fundo de private equity. Então, grosso modo, podemos falar que é uma empresa da XP Investimentos, certo?
É dos sócios, pessoas físicas, da XP. Mas não é da XP.

Mas o endereço XDEX é o mesmo endereço da XP. Funcionam no mesmo prédio.
Isso, porque os sócios são investidores. Então acabamos ficando no mesmo endereço.

Mas é uma sala separada?
Isso. Uma sala separada na qual só os colaboradores da XDEX têm acesso.

49,9% da XP Investimentos é do Itaú. Houve uma negociação com o Itaú para a abertura da XDEX?
Não. Nesse caso, como é um investimento dos sócios pessoa física, no caso, da XP, foi decidida a entrada apenas dos sócios da XP. Então, não teve envolvimento do Itaú.

Post Original

Sobre o Autor

Posts relacionados

Deixar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *