23 maio 2019

Fundador do Ethereum propõe aumento da taxa de transação da criptomoeda

Vitalik Buterin, fundador do Ethereum (Foto: TechCrunch/Flickr)

Vitalik Buterin, criador e cofundador do Ethereum propôs um aumento nas taxas de transação nas carteiras ethereum para apoiar desenvolvedores com um financiamento sustentável, reportou a Coindesk na sexta-feira (08).

De acordo com o site, Buterin disse que apenas o pagamento único de 1 gwei para transações enviadas para carteiras ethereum já poderia, coletivamente, levantar até US$ 2 milhões em um ano.

O ‘wei’ é a fração da criptomoeda ethereum, assim como ‘satoshi’ é do bitcoin (taxa de wei = gwei). Também chamada de ‘gas’, essas frações são descontadas nas transferências. Elas compensam a energia computacional necessária para processar e validar transações no blockchain do ethereum.

Para se ter a ideia do valor de taxa proposto por Buterin, 73.000 gweis (0,00007300) equivalem a apenas US$ 0,01, ou R$ 0,038.

No Twitter, o executivo também se pronunciou.

“Eu proponho considerarmos um modelo comunitário para apoiar os desenvolvedores cobrando uma taxa de 1 g/g pelas transações enviadas através de suas carteiras”.

À reportagem, Buterin explicou:

“Só de aumentar o custo médio do gas em aproximadamente 7%, teríamos US$ 2 milhões por ano em financiamento sustentável, o que seria mais que a Fundação Ethereum concede no momento”, disse ele à Coindesk.

Taxa não seria obrigatória

Segundo o site, Buterin está tentando encorajar a comunidade, mas não está impondo o aumento das taxas. Ele disse que já existe um alto grau de confiança entre usuários e suas carteiras ethereum.

Até o momento, a comunidade não chegou a um consenso e ainda se divide com a proposta do fundador. Tem usuários que dizem não estar dispostos a pagar por algo que antes era gratuito, diz.

No entanto, Buterin disse que, em geral, o feedback da comunidade à sua proposta “tem sido muito encorajador” e espera vê-la incluída nas carteiras ethereum em breve.

Dividido em dois grupos, Buterin detalhou que 10% do seu portfólio são mantidos em Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Zcash (ZEC) e Doge.

Outros 10%, ele preferiu investir em criptomoedas menos conhecidas: Maker (MKR), OmiseGo (OMG), Augur (REP) e KNC.

Desta forma, Buterin revela que 80% do seu portfólio está em Ethereum, mas até hoje ele não revelou o valor. No entanto, afrontando críticas ele já revelou possuir apenas 0,9% da Fundação, que detém cerca de 600 mil ETH.

O cofundador também adicionou outras informações. Ele disse ser acionista de duas startups: Clearmatics, que está desenvolvendo soluções para os mercados de balcão (over-the-counter, OTC na sigla em inglês), e Starkware.

Buterin disse, ainda, que também tem interesse em outros projetos, como o da L4, por exemplo, que está construindo a Web 3.0, uma web descentralizada que remove intermediários e incentiva os usuários a contribuir.

Plasma Group, EthGlobal e EDCON, também foram citadas pelo fundador como startups que possuem projetos interessantes.


Sobre o Autor

Posts relacionados

Deixar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *